Retrato de um Casamento

RETRATO_DE_UM_CASAMENTO_1247095967BRetrato de um Casamento é a autobiografia de Vita Sackville-West escrita pelo seu filho Nigel. É um livro pleno de emoções fortes a que não se consegue ficar indiferente. Os dois capítulos escritos por Vita são por vezes como um diário pessoal, outras como uma confissão íntima. Debruçam-se sobre a sua vida e a sua paixão ardente pela rebelde Violet Trefusis, que a ama apaixonadamente, que a enche de prazer intelectual e físico, e que a leva a magoar profundamente o seu marido homossexual, Harold Nicolson, e até mesmo a abandoná-lo, e aos seus dois filhos Nigel e Ben, por um curto período de tempo.

Os três capítulos escritos por Nigel são também muito poderosos, mas de uma forma diferente: ver descobertos os segredos sexuais e emocionais de uma mãe pela mão do próprio filho é desconfortável e por vezes até cruel:

Violet Trefussis

Violet Trefusis

“Não conheci Violet. Avistei-a apenas duas vezes quando já era uma velha fragata e não mais a graciosa escuna da juventude. Fui incapaz de reconhecer nela os traços de mistério, as marcas de sol e sal, de mares bravios, que no passado haviam feito minha mãe perder a cabeça. Eu não sabia que Vita estivera assim tão apaixonada, nem supunha que fosse capaz de tal amor. Ela jamais o teria confessado a mim, seu filho. Hoje, que sei de tudo, gosto dela ainda mais, como acontecia com meu pai: porque reconheço que foi tentada e era fraca. Rebelou-se contra as convenções do seu tempo, quis ser Julian. Embora não o soubesse, lutou muito, muito mais do que Violet. Lutou pelo direito ao amor livre, de homens e mulheres, rejeitando o dogma da fidelidade conjugal e admitindo as atrações do mesmo sexo. Na defesa dessa tese sacrificava tudo. Pode ter sido um tanto doida, como mais tarde confessou, mas de uma loucura maravilhosa. E cruel, mas num plano heroico. Seria injusto tratar com desprezo sua paixão mais violenta, e estou certo de que aprovaria a ideia de levá-la ao conhecimento das novas gerações, infinitamente mais generosas que a do seu tempo.”

Retrato de um Casamento, Nova Fronteira

V&H

No entanto, estes são capítulos que complementam e completam o quadro. Vita escreve sobretudo sobre ela mesma e sobre as suas emoções. Nigel fala também do pai, Harold, e do fortíssimo e inabalável amor deste por Vita, que cresceu e se tornou cada vez mais importante à medida que os anos iam avançando, e que era o porto seguro a que ambos regressavam após as aventuras famosas de Vita com Virginia Woolf e de Harold com jovens rapazes. Nigel ajuda também a colocar a escrita de Vita em contexto ao vincar a natureza moderna e liberal das opiniões e comportamentos de Vita e de Harold sobre o casamento e sexualidade nos primeiros anos do século XX, mas também ao salientar o profundo esnobismo de Vita e a sua frieza em relação às classes sociais inferiores.

divider

http://pt.wikipedia.org/

┼Ψ╬† sσnia ┼Ψ╬┼

Gosto de tudo da Inglaterra: literatura, filmes, séries, sitcons, sotaque, educação, polidez, costumes, parques, praças, arquitetura… Tudo! Fui Influenciada pela literatura inglesa que eu li avidamente. Morar lá é o meu objetivo de vida.