Pride & Prejudice: having a ball

Bbc

Cena do baile: Bbc

Pride & Prejudice: having a ball (2013, BBC, 1 h e 30 min) é uma daquelas coisas tão maravilhosas, mas tão maravilhosas, que uma resenha deixa a gente bem limitado pra poder dizer o quão maravilhosa ela de fato é – tudo o que se quer escrever é “Vá assistir imediatamente!”. Mas como isso pode não soar convincente, vou elencar umas boas razões pra você não deixar pra amanhã esse documentário fantástico.

51rd2xVhfWL

Documentário

A ideia é a seguinte: encenar, nos mínimos detalhes, o que deve ter sido o baile de Netherfield (aquele que a Sra. Bennet jura que o Sr. Bingley ofereceu em homenagem a Jane, porque oras, eles já estão praticamente noivos!). Saltando das páginas para o mundo real e vindo do comecinho do século XIX para o comecinho do XXI, esta foi uma comemoração perfeita para o aniversário de 200 anos do nosso queridíssimo Orgulho e Preconceito.

Você entende o conceito de ‘nos mínimos detalhes’? Pois então. É tin-tin por tin-tin mesmo. O que pros leitores de Jane Austen era óbvio, pra nós pode ser um pouco nebuloso. Os filmes e minisséries ajudam a ilustrar, mas não é a mesma coisa. A BBC levou muito a série essa produção e eu te digo: é como estar em 1813. E um baile no interior da Inglaterra em 1813 é meio mágico.

O baile é no salão da casa do irmão de Jane Austen (o que foi adotado e era rico), iluminado à velas, com pessoas vestidas com roupas feitas à mão para a ocasião, convites feitos em uma prensa de 1820, melodias tiradas dos livros de música da família Austen e tocadas em instrumentos originais e um jantar com pratos da época, com receitas vindas do livro pessoal de Martha Lloyd, a amiga que morava com as Austem em Chawton.

50-austenprideprej-CR

Cena do baile: Bbc

Aliás, o jantar é um acontecimento dentro de um acontecimento. Já ouviram falar de sorvete de parmesão? E no ponche a la Romaine? Era uma bebida para refrescar nas pausas entre as danças, uma mistura de rum ou conhaque e limão, água, champanhe e merengue italiano. Era servido bem gelado em taças pequenas e tomado de colher. E a torta de perdizes? Iam quatro aves inteiras dentro! Era um batalhão de comida (mais de 60 pratos) e todo mundo ia passando os pratos uns pros outros. Nada do que imaginamos quando lemos, eu te garanto.

Embora a prata e outros utensílios de mesa aqui é preciso para o período, este é mais um «evocação», do que uma recriação da ceia bola Netherfield. Mas espero que ele oferece alguns insights sobre a sofisticação de refeições no período da Regência. Foto por Andrew Hayes Watkins. © Optomen Televisão

Embora a prata e outros utensílios de mesa aqui é preciso para o período, este é mais um «evocação», do que uma recriação da ceia baile Netherfield. Mas espero que ele oferece alguns insights sobre a sofisticação de refeições no período da Regência. Foto por Andrew Hayes Watkins. © Optomen Televisão

Basket fruit blancmange

O molde usado para fazer esta cesta de frutas de manjar branco  foi feito por Wedgewood na década de 1790. Foto por Sarah Durdin Robertson.

Jelly Cupid

A geleia doce foi moldada no estilo cameo, feitas usando um molde Staffordshire 1790.

E as danças, claro! As pessoas convidadas são alunos de uma escola de dança, que treinaram semanas para o baile. Eu não tinha noção do exercício que é um baile até vê-los suados. Não é um deslizar suave, mas sim cheia de saltos e passos complexos. Não é a toa que as moças usavam leques de papel com uma colinha básica. Era preciso preparo físico. Quando se diz que Darcy é um bom dançarino ou quando Sir William diz que ele e Elizabeth formam um bom par isso é um elogio/uma observação que vai além da técnica. Entendendo o mundo da dança dá até pra valorizar a garra de Lydia: afinal estar em todas as danças não é pro fôlego de todo mundo! Vemos até a tal da savage dance – vocês sabiam que o nome da dança é esse mesmo? Era baseada num musical de Robinson Crusoe. Aí a gente vê que a ironia do Sr. Darcy era muito mais afiada…

Pride & Prejudice: having a ball é um documentário bem organizado e bem completo. E tem uma fotografia muito bonita também. É delicioso. Eu tenho que dizer que já assisti algumas vezes e simplesmente adoro, tanto quanto o filme O&P de 2005 e a minissérie de 1995. Você simplesmente mergulha. O livro ganha uma nova perspectiva e você enxerga várias passagens de um jeito mais acurado – é como dar uma limpadinha nos óculos. Os diálogos durante as danças, a circulação das pessoas dentro do salão, a dinâmica da mesa de jantar: tudo parece mais claro e mais vivo. Acho que esse é um dos motivos principais pra eu amar esse documentário: a sensação de profundidade que ele dá pra história e pras personagens, como se Elizabeth e Darcy pudessem ter existido mesmo e Jane Austen só tivesse se encarregado de registrar a história deles.

O outro motivo é que parece que nós mesmos poderíamos experimentar aquilo, só por um momentinho (eu sempre quis participar de um baile regencial, mas esse documentário levou isso a outros níveis). Agora me diga: isso não entra na categoria “maravilhosa”? Ora, então vá assistir imediatamente!

admin-ajax

Fotos culinárias: http://foodhistorjottings.blogspot.com.br

Rebeca Lima Teixeira

Soteropolitana. Bacharel em Língua Inglesa. Cristã. Caseira e reservada, amo dias de chuva e de vento, solidão e silêncio, plantas e passarinhos, panetone e chocotone. Apaixonada por História e Literatura, especialmente a Inglesa - meus livros favoritos falam por mim. http://www.skoob.com.br/usuario/621503-rebeca Contato: rebecaausten@gmail.com

  • Alinne

    Amo o livro e a série, mas não gostei muito da Lizzi do filme de 2005. Louca pra assistir esse documentário. Ótimo post! Bjs!

    http://magazineliteraria.blogspot.com.br/

  • Enza Said

    Rebeca, amei suas observações sobre o documentário! Parabéns! Fiquei louca para assistir, sabe onde posso encontrá-lo? Beijos <3

    • Obrigada, Enza!
      Eu baixei o vídeo do Youtube e as legendas achei pelo Google. Mas quando fui procurar pra te passar o link, não achei de jeito nenhum! 🙁
      Essa semana ainda vou upar o arquivo que eu tenho pro Onedrive (tem 900 MB) e disponibilizo um link, tá?
      Beijos!

    • Enza, tentei upar o arquivo, mas não consegui… Na verdade, tem quase 1 GB. Toda vez que eu tento dá erro. Desculpe mesmo. Acho que só caçando pela internet agora. Mas, com certeza, deve ter (eu é que não devo ter procurado direito). Se as legendas dá pra achar fácil, o documentário tem que estar disponível.
      Espero que você (e as outras pessoas que querem assistir) consiga baixar/ver online.

      Beijos!

      • Enza Said

        Tudo bem, Rebeca. Obrigada mesmo assim. Vou procurar um torrent aqui e assisto sem legenda sem problemas rs. Beijos, espero ver mais posts seus por aqui! <3

      • Enza Said

        Só atualizando minha situação: já encontrei o torrent e estou fazendo o download (mal posso esperar para assistir!!!)

  • Isladi Rossi

    Vou baixar e assistir, deve ser muito interessante.