Palácio das Ilusões (Jane Austen)

mansfield-park

MANSFIELD PARK (1999)

Mansfield Park, no Brasil traduzido como Palácio das Ilusões, é uma adaptação em filme do romance homônimo de Jane Austen, e também de algumas cartas que revelam dados sobre a biografia da autora e informações históricas da época. Foi uma produção da Miramax e da BBC filmes (EUA/Reino Unido), do ano de 1999.

Mesmo não sendo uma adaptação tão fiel ao livro, o roteiro de Patrícia Rozema foi muito acertado ao misturar Jane Austen e a personagem principal de Mansfield Park. Fanny Price (Frances O’Connor) passa de extremamente reservada a uma mulher vivaz e com grande imaginação para a escrita. Isso tornou a história mais ágil e atraente.

5_29_13_mansfieldparkdvd1999

MANSFIELD PARK (1999)

A história começa com a jovem Fanny deixando a pobreza da casa de seus pais em Portsmouth para ir viver no luxo com seus tios em Mansfield Park. Como sabemos, sua rotina na mansão não vai ser das mais fáceis, pois ela não é tratada como alguém da família, e sim com um objeto de caridade. Desta forma, sempre tem de ser útil, especialmente para a sua tia Norris e para a sonolenta tia Bertram. Na propriedade, contudo, tem acesso a livros e a uma educação refinada, que não seria possível junto a seus pais e irmãos. Edmund foi o único membro da família a tratar a prima com sincero carinho e respeito. Alguns anos depois da chegada de Fanny, a rotina tediosa de Mansfield será abalada pela chegada dos irmãos Crawford. A partir daí, os sentimentos e as ações dos personagens ficarão confusos e nem Fanny, que no livro é praticamente inabalável, vai resistir a certas tentações e provações.

Algumas relações foram colocadas de acordo com o contexto da época, o que foi muito positivo para a história. A questão dos escravos e a situação econômica da propriedade, por exemplo, explicam a viagem de negócios de Mr. Bertram. Seu interesse suspeito pela sobrinha pobre e que vive de favor em Mansfield é previsível pela posição social de ambos e pelo caráter de Mr. Bertram no filme.

Edmund (Jonny Lee Miller) demonstrou mais seus sentimentos por Fanny, em comparação ao livro, e isso torna a história mais agradável de assistir. Numa primeira leitura do romance pode ficar uma impressão de que ele não a ama como mulher e sim sempre a amou apenas como uma pessoa de sua família. Nesta adaptação a atração mal resolvida entre os dois fica mais evidente. Em defesa do livro, contudo, temos a limitação da época em que foi escrito, além do estilo de Jane Austen, que deixava as situações no ar, sem dar detalhes “mais quentes” de seus personagens.

MANSFIELD PARK, Jonny Lee Miller, Frances O'Connor, 1999

MANSFIELD PARK, Jonny Lee Miller, Frances O’Connor (1999)

Mary Crawford (Embeth Davidtz) é bastante ousada nesta adaptação e seu irmão, Henry (Alessandro Nivola), é belo e sedutor. Fica claro e compreensível como eles conseguiram confundir os sentimentos de pessoas como Edmund e Fanny. Não ficou chato e insistente, pelo menos não a princípio.

Mansfield Park, ou Palácio das Ilusões, tem um roteiro muito bem amarrado, em que as histórias se encaixam perfeitamente. Até hoje foi uma das melhores adaptações de Mansfield Park já feitas, mesmo que não tenha sido fiel ao romance de Jane Austen. A BBC fez uma nova adaptação, desta vez para a televisão, no ano de 2007, de forma mais fiel ao livro, contudo não foi feliz na escolha dos atores. Billie Piper (Rose Tyler, de Doctor Who) interpretou uma Fanny que nem os fãs mais amorosos conseguiram entender. Definitivamente ela não se encaixou naquilo que esperamos de uma Fanny Price. Frances O’Connor, mesmo tendo interpretado uma Fanny com toques de Jane Austen, ainda é a favorita de grande parte dos fãs de Mansfield Park.

divider79

Mais informações sobre a produção e o elenco em: http://www.70anosdecinema.pro.br/2331-PALACIO_DAS_ILUSOES_(1999)

Tamires de Carvalho

Estudante de Letras (Português/Literaturas), sempre foi apaixonada pelo universo dos livros. Descobriu na Literatura Inglesa uma grande fonte de prazer e inspiração. Também acha estranho falar de si mesma na terceira pessoa. Contato: ts.carvalhosantos@gmail.com

  • Cátia Neves

    Pela primeira vez prefiro o filme ao livro, e a razão é que não consegui sentir o amor de Edmund por Fanny no livro, é como se ela fosse a segunda opção por não ter dado certo com a Senhorita Crawford. Já o filme o romance entre Edmund e Fanny é muito mais forte. No livro é bem sem graça, como se não fosse por amor que ele terminou com Fanny mas sim por ser conivente a ele. Será que interpretei o livro errado? Quero o ler novamente. Alguém teve a mesma impressão. O filme que assisti é com o ator Jonny Lee Miller.