O Chalé de Moorland (Elizabeth Gaskell)

IMG_2731a2

A Pedrazul Editora publicou O Chalé de Moorland em uma edição lindíssima que também traz o conto Lizzie Leigh. As histórias foram publicadas originalmente em 1850 e 1855, respectivamente, e são de autoria de Elizabeth Gaskell.

Img_27352

O Chalé de Moorland conta a história dos irmãos Maggie e Edward Browne, que vivem com a mãe, viúva do pároco auxiliar de Combehust. Maggie é negligenciada pela mãe em favor de seu irmão, que desde muito jovem demonstra ser de caráter duvidoso.

O falecido Sr. Browne foi amigo de longa data do Sr. Buxton. Pela amizade e memória do velho amigo, ele oferece a Edward a possibilidade de se instruir em uma escola. A partir daí as famílias ficam ainda mais próximas e os Browne passam a ser visita habitual na residência dos Buxton.

O Sr. Buxton tem um filho, Frank, e cuida de sua sobrinha Ermínia, que são mais ou menos da mesma idade de Edward e Maggie. Edward não consegue estabelecer laços de amizade com Frank ou Ermínia, muito por conta de seu caráter egocêntrico, mas também por estar sempre destratando a irmã. Já Maggie, com sua doçura, se torna grande amiga de Ermínia e conquista a simpatia de Frank.

“Frank e Edward pareciam ter certa antipatia um pelo outro, e a frieza entre eles mais crescia do que diminuía com os esforços do Sr. Buxton para aproximá-los. ‘Frank, meu rapaz’, disse ele. ‘Não seja tão duro com Ned. Seu pai era um amigo querido, e meu coração está determinado a vê-los amigos. Você terá o poder de ajudá-lo no mundo.’ Mas Frank respondeu: ‘Ele não é muito honrado, senhor. Não posso suportar um menino que não é honrado.'” (pág. 41)

Maggie também conquista a afeição da Sra. Buxton, que vive reclusa por motivo de doença. A menina torna-se uma agradável companhia e distração para ela.

“Verões e invernos começaram e terminaram com pouco para marcá-los, exceto o crescimento das árvores e o progresso silencioso de jovens criaturas.” (pág. 42)

Algum tempo se passa, todos tiveram a oportunidade de se instruir em outro lugar, menos Maggie. Ainda assim ela transforma-se em uma bela moça. Suas qualidades permanecem as mesmas, apesar de tão dura vida.

Maggie e Frank se apaixonam. Um amor que para ser vivido terá que superar muitas adversidades. Ela terá de escolher entre o amor e a família, numa história de muito drama e reviravoltas.

“Não era a brusquidão de sua vinda – era a brusquidão de seu próprio coração, que saltava com os sentimentos despertados provocados pelas palavras dele.”

“A água transbordava pelo jarro esquecido. Finalmente ela lembrou de suas tarefas, levantou o pote e teria corrido para casa, mas Frank, de forma decidida, tirou-o dela. ‘De hoje em diante’, disse ele, ‘tenho o direito de carregar seus fardos’”. (pág.57)

O Chalé de Moorland é uma história pequena em páginas, mas grande em conteúdo. Maggie tem uma retidão de pensamento tão grande que até incomoda! É difícil encontrar uma pessoa assim, com tamanha doçura e amor incondicional a família. Recomendo a leitura!

Lizzie Leigh

Img_27371

Img_2741

Na mesma edição de O Chalé de Moorland, temos o conto Lizzie Leigh. A história é curtinha, apenas 40 páginas, mas não se engane: ela pode lhe fazer derramar muitas lágrimas.

A história começa em um momento delicado, com a morte de James Leigh na manhã de Natal. Suas últimas palavras, foram em desabafo para a esposa:

“Eu a perdoo, Annie! E que Deus também me perdoe!” (pág. 139)

A partir destas palavras um sentimento e uma vontade que há muito estavam contidos no coração da Sra. Leigh vêm a tona. A família se muda para Manchester para que Anne Leigh possa encontrar a sua filha, Lizzie, de quem há muito tempo não tem notícias. Na cidade, a família terá lições de amor, amizade perdão e caridade.

“Mas aquelas últimas palavras abençoadas colocaram-no de volta em seu trono no coração da esposa e despertaram uma agonia penitente por toda a amarga desavença dos últimos anos. Foi isso que a fez recusar todos os apelos de seus filhos para que fosse ver os gentis vizinhos que a chamavam ao voltarem da igreja para compadecer-se e dar-lhe os pêsames. Não! Ela ficaria com o marido morto que, depois de três anos de silêncio, havia finalmente lhe falado carinhosamente – quem sabe, se ela houvesse sido mais gentil e menos irritadiça e reservada, ele teria cedido antes e a tempo?” (pág. 140)

Lizzie Leigh é uma linda história e vai lhe emocionar! Em poucas páginas Gaskell transmite um mundo de sentimentos. Recomendo a leitura!

Img_27451

Img_27271

end-divider

Título: O Chalé de Moorland / Lizzie Leigh
Autora: Elizabeth Gaskell
Tradução: Andrea Carvalho
Editora: Pedrazul
Páginas: 179
Avaliação: 5/5 estrelas e favorito

***

Onde comprar:

Pedrazul | Americanas | Submarino 

Tamires de Carvalho

Estudante de Letras (Português/Literaturas), sempre foi apaixonada pelo universo dos livros. Descobriu na Literatura Inglesa uma grande fonte de prazer e inspiração. Também acha estranho falar de si mesma na terceira pessoa. Contato: ts.carvalhosantos@gmail.com