Monna Innominata, de Cristina Rossetti

Cristina Rossetti por Dante G. Rossetti

Cristina Rossetti por Dante G. Rossetti

1.
            “Disseste que disseram adeus aos bons amigos.” – Dante 
            “Amor, com quanto esforço eu hoje venço!” – Petrarca 
Volta pra mim, que te guarda e te espera:—
Ou não volta, pois ‘stá tudo acabado,
E o tempo do retorno é demorado,
Distante meu prazer de minha esfera.
Tudo que faço faço enquanto a espera
Me faz pensar: “Quando tiver voltado…”
Um só homem habita o mundo habitado
De homens; somente ele me apodera.
Esperar-te, posto que em se apartando
Desponta a dor de te esperar, e a fé,
Lua crescente ou lua minguante, é
Como o dia divino em que nos vimos…
Ah!, onde as canções que já cantei, quando
Viver era bom, e nos convencíamos?
2.
            “Era chegada a hora que transforma o desejo.” – Dante 
            “Recorro ao tempo em que te vi primeiro.” – Petrarca 
Queria relembrar aquela hora,
Aquela dia e instante em que me viste,
Se na estação alegre ou se na triste,
Se no estio ou no inverno muito embora;
Tão sem lembrança que se foi embora,
Tão cego que já não vê o que existe,
Tão tolo que não marca o que consiste
A marca em mim que em mim já não aflora.
Se apenas eu pudesse relembrá-lo
Como um dia dos dias!, eu o permitiria
Tão vago como o que se derretia…
Isto expressava pouco, sem expressá-lo.
Se o toque, se eu pudesse reinvocá-lo,
O toque inicial — Quem saberia!
14.
            “E a Vossa Vontade é nossa paz.” – Dante 
            “Só, com este pensamento, com outro cabelo.” – Petrarca
Beleza e juventude, ambas perdidas,
Se numa face assim já habitaram,
Pergunto-lhes: das graças, quais restaram?
Não me cubro de rosas florescidas
Para humilhar as faces constrangidas.
Deixem rosas, a quem carrega espinhos:
Não buscarei por flores não colhidas,
Mas tão somente a flor em meu caminho.
Beleza e juventude. O que restou?
No peito, o saudosismo, a solitude,
O silêncio que no silêncio amara;
O silêncio de um peito que cantara
No esplendor da beleza e juventude,
Silêncio de um amor que se calou.
vector_blue
Tradução e introdução ao poema: matheusmavericco.blogspot.com

┼Ψ╬† sσnia ┼Ψ╬┼

Gosto de tudo da Inglaterra: literatura, filmes, séries, sitcons, sotaque, educação, polidez, costumes, parques, praças, arquitetura… Tudo! Fui Influenciada pela literatura inglesa que eu li avidamente. Morar lá é o meu objetivo de vida.