Memory: A Tale of Pride and Prejudice (Linda Wells)

memory

O que teria acontecido se os caminhos de Darcy e Elizabeth tivessem se cruzado quando ele tinha 22 anos e ela apenas 15? Antes de ele se tornar o homem reservado e orgulhoso que conhecemos e amamos (eu pelo menos amo)?

Essa história inspirada em Orgulho e Preconceito começa no momento em que o jovem Fitzwilliam Darcy recebe a notícia de que o pai está morrendo e que ele deve assumir o seu papel como Mestre de Pemberley com apenas 22 anos. Devastado ele vai caminhar em um parque próximo à casa dele em Londres, e lá ele encontra Elizabeth Bennet, com apenas 15 anos. No meio do desespero dele, ele ouve a risada dela e algo se ascende dentro dele (lindo né?). Eles trocam olhares, mas não se conhecem realmente, e ao longo de 2 anos eles se encontram à distância, trocam sorrisos, mas nunca passa disso. Ele lutando para continuar o legado do pai, e ela aguentando as maquinações da própria mãe para que ela se case e salve a família da pobreza. Até que um dia, naquele mesmo parque, o encontro finalmente acontece, e daí pra frente é que a história acontece.

Eu li o primeiro livro em 2 dias (são mais de 500 páginas para cada um dos três volumes), simplesmente não conseguia parar de ler! Não apenas a história de D&E, mas todos os personagens de segundo plano (que são muito mais do que os originais). Está todo mundo lá: os Bingleys, os Bennets, Charlotte Lucas, Mr. Collins, Lady Catherine, Coronel Fitzwilliam e os Gardiners, que tem muita importância na trama. E quando você acha que sabe o que vai acontecer, tudo muda. Como D&E se conhecem mais jovens, a vida dos que vivem ao redor deles muda de rumo. Um exemplo feliz: a coitada da Charlotte não se casa com o ogro do Mr. Collins! Mas também, Jane não casa com Bingley.

E tem os personagens novos: Lord e Lady Matlock, tios de Darcy, pais de Fitzwilliam, e seus dois outros filhos e respectivos pares; Mr. Stewart que se apaixona por Elizabet, mas desiste dela por causa da família dela, Mr. Harwick que corteja Jane, mas desiste pelo mesmo motivo; Capitão de Bourgh, que herda Rosings Park depois da morte de Anne, e que acaba se casando com Mary Bennet. E mais um monte…. todos excelentes!

Simplesmente estou adorando! Acho justo comentar para os mais puritanos que tem sexo no livro, mas acredito eu (já adquiri alguma experiência lendo todo tipo de livro) que quase todas as passagens desse tipo foram escritas com bom gosto, não necessariamente explícita, mas claras o suficiente para eu corar ou quase engasgar.. (ainda bem que costumo ler sozinha no meu quarto). Ah, mais uma questão que pode incomodar alguns; Elizabeth se casa com 17 anos, então, tecnicamente, ela é menor de idade (não sei se existia idade legal naquela época), enquanto Darcy já é um homem de 24 anos. Fica a critério de cada um; eu não achei nada demais.

Eu tive que reler os melhores momentos do 1º livro antes de começar o 2º que já está quase na metade. Já tenho uma boa idéia do que me aguarda no restante da história, já que sou curiosa demais para seguir o curso normal e respeitar ‘começo-meio-fim’. Se os livros não fossem tão longos até que me propunha a traduzir para que outras pessoas pudessem ter acesso a essa história linda, mas duvido que vou encontrar tempo (e paciência) para essa empreitada. Quem sabe no longo inverno gaúcho eu encontre inspiração…

Image1

Resenha: Samanta Fernandes
Improvement of Mind…

Samanta Fernandes

Blogueira aposentada, tradutora nas horas vagas e apaixonada por literatura de época há cinco anos, quando assisti por acaso o filme Orgulho e Preconceito.