Aventuras pela Inglaterra de Jane Austen: Lyme Park

lyme2O Colin Firth foi meu primeiro Darcy – Mark Darcy, eu deveria dizer. Sendo assim, não poderia deixar de visitar a Pemberley dele, da série de 1995, Lyme Park. Já era final de dezembro e eu sabia que a casa estaria fechada, mas não liguei muito para esse detalhe, afinal, o que foi usado na série foi o exterior da casa e ver essa parte já bastava. A previsão do tempo dizia que neve estava a caminho e acho que foi esse detalhe que fez com que eu decidisse ir no dia que eu fui. Nunca tinha visto neve, então, se de fato nevasse e eu estivesse em Pemberley, well, ia ser duplamente lindo!

Já do trem pude ver sinais de neve na paisagem, e quanto mais para o norte o trem ia, mais branca ficava a vista do mundo do lado de fora.

Depois de uma troca de trens – não há um trem direto de Londres a Disley, cidade onde fica Lyme Park, por isso é necessário parar na estação de Stockport e de lá, pegar um trem para Disley -, eu estava pronta para encontrar o Mr. Darcy… Quero dizer, Lyme Park 

A neve cobria o chão e eu já estava empolgada por estar vendo neve pela primeira vez, esquecendo a dificuldade de dar um passo com firmeza em um caminho tão escorregadio. Depois de quase um quilometro caminhando, vi uma placa que iluminou ainda mais o dia cinzento – eu estava entrando em Lyme Park!

Da entrada da propriedade, até a casa em si, acho que caminhei pelo menos mais um outro quilômetro. A distância pareceu mais curta do que realmente era, principalmente com a neve ao meu redor e a paisagem toda branca. Nunca tinha visto nada igual – a não ser, talvez, em filmes ou séries e, no momento, eu estava vivendo uma dessas séries.

Finalmente cheguei até a casa. Devo confessar que a primeira impressão foi “ah, o Darcy do Colin não era tão rico quanto o Darcy do Matthew – Chatsworth é maior que Lyme Park”. Apesar de ainda achar que Chatsworth é realmente mais bonita do que Lyme Park, essa Pemberley de 1995 é maravilhosa mesmo assim. E com a neve, então! Eu estava encantada.

Quando eu estava atingindo a parte de trás do lago, de onde temos a primeira visão de Pemberley em Orgulho & Preconceito (1995), começou a nevar. Muito. Eu estava lutando contra a neve para conseguir tirar fotos e, ao mesmo tempo, dando pulinhos de felicidade por ter visto neve, pela primeira vez na vida, em Pemberley. Ahh, a primeira vez a gente nunca esquece!

Vocês lembram o caminho no qual a Elizabeth e o Darcy andam, junto com os Gardiners, quando eles se encontram em Pemberley? Andei por ele! – sim, eu sei que eu me empolgo com coisa insignificantes, mas eu sou assim.

Apesar de estar molhada até a alma, eu estava radiante de felicidade. Vocês conseguem imaginar o Darcy e a Elizabeth sentados em frente a uma lareira, vendo a neve cair? (sendo uma fã assumida de JAFF, não pude evitar pensar nisso!)

A saída da casa se dá pelo mesmo local em que se entra e (de novo minha imaginação entrando em cena) eu não pude deixar de pensar em carruagens entrando por aquele portão, talvez os Bingleys, em uma de suas frequentes visitas aos Darcys…

Infelizmente, devido à quantidade absurda de neve que caia, eu não pude explorar os jardins como eu gostaria, e devido à época do ano (a maioria dessas casas fecha durante o inverno), não pude conhecer o interior da casa. Ainda quero voltar lá. Sem dúvida uma segunda, terceira, quarta, visita vale a pena. Lyme Park me transportou para dentro de Orgulho & Preconceito, e nenhum lugar que tem esse efeito na gente pode ser ruim.

Para mais informações sobre Lyme Park: http://www.nationaltrust.org.uk/lyme-park/

 

vector.
Texto e fotos: http://samantaf2010.wordpress.com

Samanta Fernandes

Blogueira aposentada, tradutora nas horas vagas e apaixonada por literatura de época há cinco anos, quando assisti por acaso o filme Orgulho e Preconceito.